Conheça a Memória Flash! Definições.

13 janeiro 2011
Hoje vou falar sobre um assunto que me interessou por causa de alguns motivos: #PromoASUS do Twitter (@GuiPedr0s0) e o netbook. Por curiosidade “rodei” o CD Live Ubuntu em um Netbook da Asus (Asus PC EEE 4G), e seu desempenho foi muito bom. Instalei o Windows XP e não tive grandes resultados, além dos travamentos, o netbook possui memória flash de 4GB o que dificulta o perfeito funcionamento da memória virtual.


Vamos ao que nos interessa...

Você já teve curiosidade de saber como é armazenados arquivos em pendrivers, cartões de memória, celulares, netbook ASUS e afins? Não Então, vamos conhecer o que essa memória.
Os dispositivos portáteis possuem uma memória chamada Memória Flash, que é similar a memória RAM, sendo que a diferença entre as duas é que a RAM é uma memória volátil e a Flash não.  A memória flash é do tipo EEPROM (chip de armazenamento não-volátil), que foi desenvolvida pela Toshiba em 1980 pelo Dr.Fujio Masuoka. O nome “flash” surgiu por sugestão do seu colega, o Sr. Shoji Ariizumi, pois a maneira de apagar “dados” da memória era muito semelhante ao flash de uma câmera fotográfica. A Intel usou a idéia da Toshiba e fez o primeiro flash comercial baseada em NEM ou NOR (operador booleano lógico que é resultado da negação do OU). O flash baseado em NOR leva muito tempo para gravar e apagar, porém fornece completamente o endereço e o barramento de dados, permitindo o acesso aleatório a qualquer posição da memória. Isso o torna um substituto adequado para os antigos chips ROM (Ready-only memory), que são utilizados para armazenar o código do programa que raramente precisa ser atualizado, como a BIOS ou a firmware do set-top boxes de um computador.

Arquitetura de Sistema:
Sua arquitetura está baseada em camadas.  Primeiro o Sistema de Arquivos Virtuais (VFS) que representa a interface comum de aplicativos de nível mais alto. Após vem o sistema de arquivos flash (FFS), que irei falar mais tarde.  Em seguida, o Flash Translation Layer (FTL), que fornece gerenciamento geral do dispositivo flash, inclusive alocação de blocos de dispositivos flash subjacentes, conversão de endereço, wear leveling dinâmico e coleta de lixo. Em alguns dispositivos flash, uma parte do FTL pode ser implementada no hardware.



Alguns Sistemas de Arquivos Flash:

Sistema de Arquivos Flash com Registro de Mudanças:
Um dos primeiros sistemas de arquivos flash para Linux é chamado de Sistema de Arquivos Flash com Registro de Mudanças. O JFFS é um sistema de arquivos estruturado em log elaborado para os dispositivos flash NOR. Ele era exclusivo e lidava com vários problemas dos dispositivos flash, embora criasse outros.
O JFFS visualiza o dispositivo flash como um log circular de blocos. Os dados gravados no flash são gravados até o fim e os blocos no início são procurados. O espaço entre o início e o fim são livres; quando esse espaço fica menor, a garbage collector é executada. O coletor de lixo move os blocos válidos até o fim do log, ignora os blocos inválidos ou obsoletos e os apaga. O resultado é um sistema de arquivos que realiza automaticamente o wear leveling estático e dinâmico. O problema principal nesta arquitetura é que o dispositivo flash era apagado com frequência (em vez de uma estratégia de otimização de exclusão), o que o desgastava muito depressa.




Yet Another Flash File System:
O YAFFS é outro sistema de arquivos flash desenvolvido para o flash NAND. A primeira versão (YAFFS) oferecia suporte a dispositivos flash com páginas de 512 bytes, enquanto a versão mais recente (YAFFS2) oferece suporte a dispositivos mais novos, com tamanhos maiores de páginas e restrições de gravação maiores.
Na maioria dos sistemas de arquivos flash, os blocos obsoletos são marcados como tais, mas o YAFFS2 marca também os blocos com números de sequência que aumentam de forma uniforme. Quando o sistema de arquivos é escaneado no momento da montagem, os inodes válidos podem ser rapidamente identificados. O YAFFS também mantém árvores em RAM para representar a estrutura de blocos do dispositivo flash, inclusive a montagem rápida por meio de verificação de pontos —um processo que salva a estrutura em árvore RAM no dispositivo flash em uma desmontagem normal para que ele possa ser rapidamente lido e restaurado na RAM no momento da montagem. O desempenho no momento da montagem é uma grande vantagem do YAFFS2 sobre outros sistemas de arquivos flash.



Sistemas de arquivos, fonte: M. Tim Jones

2 comentários :

{ Gabriel Pereira } at: 18 janeiro, 2014 11:29 disse...

Não consigo instalar o Windows XP em um netbook com 2 gb de Hd no caso memória flash você poderia me ajudar

{ Gabriel Pereira } at: 18 janeiro, 2014 11:29 disse...

Sempre no final da instalação da erro